Loading
English French German Spain Italian

A PARÁBOLA DO SEMEADOR

MATEUS 13.1-23


PARÁBOLAS. Do¹ grego PARABOLE QUE DENOTA LITERALMENTE “COLOCAÇÃO PARA O LADO DE” (COGNATO DE PARABALLÕ, LANÇA” OU “JAZER AO LADO DE, COMPARAR”). Significa “colocação de uma coisa ao lado de outra” com vista à comparação(uns consideram que o pensamento de comparação não está necessariamente contido na palavra). Uma parábola é, portanto, uma comparação de dois objetos com fins didáticos, geralmente como um relato.

William Barclay comenta assim o papel e a importância das parábolas nos discursos de Jesus:

Tem-se dito que todo grande ensino começa pelo aqui e agora para chegar ao além e então. Se alguém quer ensinar as pessoas algo que esta não entende, deve começar pelo que entende. A parábola começa com o material que está perto e que todos entendem porque pertence à sua própria experiência, e a partir dali os conduz a coisas que não entendem e lhes abre os olhos a coisas que não tinham visto antes. A parábola abre a mente e os olhos do homem a partir do lugar onde se encontra este homem, conduzindo-o ao ponto onde deveria estar.

A PARÁBOLA DO SEMEADOR

Os discípulos² de Jesus não conseguiam entender como a proclamação do reino de Deus diante da qual eles haviam respondido com muito entusiasmo, não recebia a mesma acolhida por aqueles que a ouviam. Para explicar a razão desta não acolhida por parte de alguns ouvintes, Jesus contou-lhes a parábola do semeador.
 A parábola contêm quatro cenas, as quais indicam que a resposta não somente depende da mensagem (A mensagem é a mesma em cada caso), mas depende do grau de boa disposição dos ouvintes para recebê-la. As três áreas improdutivas (O caminho, Os pedregais, Os espinhos) são interpretados nos versos 19-22 como representando diferentes tipos de ouvintes: aqueles que simplesmente não querem ouvir, aqueles cuja resposta é simplesmente superficial e aqueles que estão preocupados com outros interesses.

As três são situações familiares a todo pregador do evangelho. De modo que os discípulos não deveriam ficar surpreendidos pelas repostas divididas ante a pregação do evangelho. Jesus estava assegurando aos seus discípulos que, apesar das hostilidades e repostas inadequadas, sempre haverá uma boa colheita.

Outro detalhe é que mesmo em BOA TERRA, existe uma variação de grau de produtividade, 30, 60 e 100. Em outras palavras, os discípulos não pertencem a um só tipo ou tamanho, no reino de Deus há lugar para o ordinário como também para o espetacular.

¹-Dicionário Vine.

²- Nuevo comentario biblico do siglo XXI N.T- Tradução livre.



  • TEOLOGIA REFORMADA...
  • TEXTOS EDIFICANTES